quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

TESTES

Realizamos diversos testes como:
· Medição do campo do Ímã permanente: Anteriormente havíamos medido o campo do ímã com um equipamento muito antigo e nada confiável que havia acusado 11000 Gauss, ou seja, 1,1 Tesla o que seria bem maior do que esperávamos. Então decidimos medir novamente com um equipamento mais moderno e confiável e constatamos que realmente a primeira medição era realmente exagerada e que o campo real do nosso ímã permanente é de 400 mT.
· Verificação da faixa de trabalho do alto-falante: Ligamos um Gerador de Freqüência ao alto-falante e pegamos estes sinais e o exibimos no Osciloscópio. Variamos sua faixa de freqüência de 100 Hz até pouco mais de 2000 Hz. Durante essa variação pudemos observar o período da onda diminuindo no Osciloscópio enquanto a freqüência aumentava e enquanto isso o alto falante ia emitindo um som mais agudo quanto maior a freqüência, atendendo assim todas as nossas expectativas.
Para melhor visualização da explicação do teste da faixa de trabalho foi filmado o experimento e colocamos este vídeo em anexo ao arquivo deste relatório.
Abaixo segue uma imagem ilustrativa que também faz parte do vídeo citado anteriormente:



















Figura 22: Testes da Faixa de Funcionamento

Com este teste conseguimos mostrar que o nosso alto-falante classifica-se como um woofer. Exatamente o que nos propusemos a realizar.
· Teste de funcionamento normal: Neste teste ligamos o alto-falante a um som automotivo e verificamos que o alto-falante reproduziu fielmente o som tocado, com baixo nível de ruídos e distorções.
· Teste de funcionamento com o módulo: Ao inserirmos o módulo em relação ao teste anterior, percebemos um aumento da potência.

Esses dois últimos testes inclusive foram apresentados de maneira semelhante em sala de aula ao professor durante a apresentação desse projeto.

Um comentário:

Eduardo Prates disse...

faltou o video, poww li tudo ate aki.